VAMOS??EXERCITAR OS MÚSCULOS FACIAIS??

O marido pergunta à esposa: o que você faria se eu ganhasse na loteria?
Ela diz :
- Eu pegaria a minha metade do $$$$$ e deixaria você, seu besta!
- Excelente! Eu acabei de ganhar 12 reais numa raspadinha... Toma aí 6
contos, e VAZAAAAA.!!.....

CONTINUAÇÃO...

Infelizmente em pleno alvorecer de uma nova era, muitos homens ainda permanecem atrelados às velhas concepções, com medo da verdade, receosos de rever conceitos e reestruturar posturas.
Permanecem na superficialidade das coisas, sem compreenderem as verdades que a Bíblia verdadeiramente ensina, a racionalidade confirma e a própria ciência já começa a aceitar.
Na Bíblia, a condenação da comunicação com os Espíritos aparece no Velho Testamento.

Contudo, no próprio Velho Testamento, a prática da comunicação com os mortos é citada como tendo a aprovação de Moisés.

"Porém no arraial ficaram dois homens; o nome de um era Eldade, e o nome do outro Medade; E repousou sobre eles o Espírito (porquanto estavam entre os inscritos, ainda que não saíram à tenda), e profetizavam no arraial.
Então correu um moço, e o anunciou a Moisés, e disse: Eldade e Medade profetizam no arraial. E Josué, filho de Num, servidor de Moisés, um dos seus mancebos escolhidos, respondeu, e disse: Senhor meu, Moisés, proíbe-lho.
Porém Moisés lhe disse: Tens tu ciúmes de mim? Oxalá todo o Povo do Senhor fosse profeta, que o Senhor lhes desse o seu Espírito!

Jesus, no Novo Testamento, não só não condena a comunicação com os mortos, como a pratica e confirma.

"Seis dias depois, toma Jesus consigo a Pedro, e a Tiago, e a João, seu irmão, e os conduziu em particular a um alto monte,
E transfigurou-se diante deles; e o seu rosto resplandesceu como o sol, e as suas vestes se tornaram brancas como a luz.
E eis que lhes aparecerem Moisés e Elias, falando com ele" - (Mateus 17.1-3).

Um dos pontos em que se fundamentam os que condenam tais práticas é a palavra de Moisés no Velho Testamento. Necessário analisarmos a questão à luz da razão.
Se as leis civis de Moisés utilizadas para o controle do povo judeu, como a condenação da comunicação com os Espíritos, devem ser obedecidas na atualidade, então por que não devemos também apedrejar adúlteras ou cortar as mãos dos ladrões como tais leis também exigem? Evidente que seria um contra-senso para os dias atuais.
Além do mais, há que se considerar as razões pelas quais o legislador hebreu determinou tal lei. Ele necessitava de mais rigor para disciplinar um povo naturalmente rebelde e distante das coisas divinas.
Moisés precisou coibir tal coisa, porque a prática da consulta aos mortos tinha se tornado uma constante entre o povo e naturalmente o abuso deu vazão a toda sorte de problemas decorrentes dos aproveitadores da ignorância humana. E depois, convenhamos: se ele proibiu a evocação dos mortos, certamente era porque eles poderiam vir até nós.

Por outro lado, há no Velho como no Novo Testamento, inúmeras citações de claras situações onde se praticava com muita naturalidade a evocação dos Espíritos. E isto é completamente desconsiderado pelos que condenam a Doutrina Espírita. Se as Escrituras funcionam como autoridade nesse campo, porque não o é em outros?
O que não pode ser aceito pelo homem da atualidade é que seja feito um julgamento (e condenação) de uma religião ou crença, baseado na parcialidade da Lei com propósitos de conveniência. A verdade não tem diferentes faces e o verdadeiro cristão deve seguir o modelo de Jesus e se espelhar nos seus ensinamentos, vivenciando o amor e respeito aos seus semelhantes.

A BÍBLIA E A COMUNICAÇÃO COM OS ESPÍRITOS

Os textos das Sagradas Escrituras são ricos em elementos necessários para o nosso entendimento das coisas divinas. Como é do conhecimento de todos, enquanto o Velho Testamento expõe a tradição dos hebreus, seus mestres, reis e profetas, o Novo Testamento retrata a vida, obra e ensinamentos do Mestre Jesus. Ele afasta a opressão contida nas leis civis feitas pelo próprio Moisés e clarifica as leis morais, que são os Dez Mandamentos, ditados por Deus. Há, no Novo Testamento, a nítida substituição do olho por olho, dente por dente, pelas mensagens de perdão e de amor a Deus e ao próximo. Além disso, Jesus veio mostrar que a morte não existe e que a alma sobrevive ao corpo carnal.
A imortalidade da alma é fato incontestável e definitivamente demonstrado pelo Mestre quando de Sua passagem pelo planeta.

ESPIRITISMO - CONCEITO

Ainda é muito comum, nos dias atuais, encontrar pessoas constrangidas ou mesmo aterrorizadas quando ouvem falar de Espiritismo, pois elas imaginam a ação do Espírito do mal.
Se você pensa assim e acredita que Espiritismo não é uma doutrina cristã, nós o convidamos a abrir estas páginas.
O objetivo desta obra é dar-lhe uma breve idéia do que é a Doutrina Espírita. Queremos despertar a sua curiosidade de forma que lhe permita formar um juízo pessoal, independente de todas as crendices e tolices oriundas do pensamento dos que nada entendem do assunto.
Não temos a pretensão de ser donos da verdade, pois , acreditamos que nenhum grupo, religião ou seita detém o privilégio de monopolizá-la.
Com a finalidade de levar um esclarecimento simples e objetivo sobre o assunto, esta pequena obra foi elaborada na forma de perguntas e respostas que foram escolhidas visando dissipar dúvidas e preconceitos existentes entre os que não conhecem a Doutrina Espírita, contribuindo, assim, para o esclarecimento. Procuraremos fundamentar as idéias em citações bíblicas e de estudiosos do assunto para melhor entendimento do que pretendemos expor.

"A ignorância dos princípios fundamentais é causa das falsas apreciações da maior parte dos que julgam o que não compreendem, ou que o fazem com base em idéias preconcebidas" - (Allan Kardec)

QUERIDOS!

EU ADORO, ASSUNTOS MÍSTICOS, ESPÍRITAS, MÉDIUNS, ESSAS COISAS, NÃO MUITO COMUNS.
TENHO ESTE LADO BEM AGUÇADO, SEMPRE DISSE QUE UM DIA IRIA DESENVOLVER, ESTUDAR, SOBRE ESTES ASSUNTOS.
QUEM SABE AGORA CHEGOU A HORA?!

BEIJOCAS.

CONTINUAMOS COM FILOSOFIA ESPÍRITA!

Deus e a Criação

Grupo Espírita Bezerra de Menezes

"No princípio, criou Deus os céus e a terra. A terra, porém, estava sem forma e vazia; havia trevas sobre a face do abismo, e o Espírito de Deus pairava por sobre as águas" - (Gênesis, cap. 1 - 1 e 2).

1.0 - A OBRA DE DEUS

Desde os tempos em que a humanidade vivia em cavernas o homem admira-se perante a grandiosidade do Universo.

Ernest Renan, um historiador e filólogo francês do século XIX, em sua magnífica obra A Vida de Jesus, afirma: "Desde que o homem se diferenciou do animal, tornou-se religioso, ou seja, ele percebeu que na natureza havia algo além da realidade e, em si mesmo, algo que estava além da morte". Por isso, o ser humano sempre buscou respostas sobre a origem das coisas e quis saber a respeito de quem teria sido o supremo arquiteto dos céus, dos montes, dos mares, da natureza etc. A Doutrina Espírita, como veremos, nos oferece seguras respostas a esses questionamentos.

a) Que é Deus

Deus é a inteligência suprema, causa primária de todas as coisas. Criou tudo o que há. É o único princípio não criado. Sempre existiu.

As leis da Física demonstram que um determinado efeito nunca é anterior à causa. No caso da Criação, pode-se concluir que ela é conseqüência da ação de um princípio lógico, que se encadeia de forma inteligente. Todo efeito inteligente tem uma causa inteligente.

O homem, observando o mundo que o cerca, pode deduzir através da razão, que aquilo que o criou deve ser inteligente e superior a tudo o que existe. A essa causa primária denominou-se "Deus". Podemos reconhecer Deus observando e estudando suas obras.

"Lançando o olhar em torno de si, sobre as obras da Natureza, observando a previdência, a sabedoria, a harmonia que preside a todas as coisas, reconhecemos que nenhuma há que não ultrapasse o mais alto alcance da inteligência humana. Ora, desde que o homem não as pode produzir, é que elas são o produto de uma inteligência superior à humanidade, a não ser que admitamos haver efeito sem causa" - (Allan Kardec - A Gênese, cap. II, item 5).

b) Atributos da Divindade

Não é dado ao homem, dentro da impotência em que se encontra, atingir toda a magnitude da natureza íntima de Deus. Por muito tempo, o homem julgou Deus à sua imagem e semelhança, dando a ele a aparência humana, bem como suas imperfeições, moldando um Deus colérico, vingativo e ciumento. Entretanto a Divindade possui atributos próprios de sua natureza suprema. Deus não se mostra, mas afirma-se mediante suas obras, diz Kardec. Diante disso, pode-se afirmar que:

Deus é eterno: Ou seja, não teve começo e não terá fim. Se Ele tivesse tido um começo, teria saído do nada. O nada, sabemos, não existe. Deus é o ser absoluto, eterno, a própria eternidade.

Deus é imutável: Se Ele fosse sujeito a mudanças, as leis que regem o Universo não teriam estabilidade. Sua imutabilidade é o alicerce das leis físicas e morais.

Deus é imaterial: A natureza de Deus difere de tudo o que chamamos matéria, pois de outra forma Ele não seria imutável e suas leis estariam sujeitas às transformações da matéria.

Deus é único: Se existissem muitos deuses, não haveria unidade de vistas, nem de poder na organização do Universo. Se existisse um outro Deus, teria que ser igualmente infinito em todas as coisas, caso contrário nem um nem outro teria a soberana autoridade. Os povos antigos, por ignorância, acreditavam na existência de muitas divindades e associavam-nas às forças da natureza, às montanhas, aos mares, às matas, aos astros etc.

Deus é todo poderoso: Se não tivesse o poder soberano, haveria alguma coisa mais poderosa ou tão poderosa quanto Ele, que assim não teria a supremacia sobre a Criação, deixando de ser Deus. Aquelas obras que Ele não tivesse feito, seriam obrigatoriamente feitas por outro deus. Portanto Deus é todo poderoso porque é único.

Deus é soberanamente justo e bom: A sabedoria providencial das leis divinas se revela nas menores como nas maiores coisas que cercam o ser humano, e esta sabedoria não permite que se duvide de Sua justiça nem da Sua bondade.

Deus é infinitamente perfeito: Conceber Deus sem essa perfeição infinita é ter que admitir que exista algo ainda mais perfeito. Se retirássemos a menor parcela de um de seus atributos, já não teríamos Deus, pois poderia existir um ser mais perfeito.

"Deus é, pois, a suprema e soberana inteligência; é único, eterno, imutável, imaterial, onipotente, soberanamente justo e bom, infinito em todas as suas perfeições, e não pode deixar de ser assim. Tal é o eixo sobre o qual repousa todo o edifício universal; é o farol do qual os raios se estendem sobre o universo inteiro, o único que pode guiar o homem em sua pesquisa da verdade; ao segui-lo, não se extraviará nunca; e se tem se desencaminhado com tanta freqüência, é por não ter seguido o caminho que lhe é indicado" - (Allan Kardec - A Gênese, cap. II, item 19).

Se é possível crermos na existência de um Ser superior que criou o mundo onde vivemos e o Universo que nos cerca, e que nos concedeu oportunidade de vida e progresso, seria lógico e racional nos esforçarmos no sentido de compreendê-lo. Esta é a meta do aprendizado espírita.

A Religião deveria se configurar numa instituição de grande importância para a humanidade, porém, seu sentido acabou sendo desvirtuado pelos homens. Sua função seria a de transmitir os ensinamentos divinos aos seres humanos, libertando-os da escravidão das idéias materialistas, que o atrelam a um mundo de ilusões transitórias, sem compreender o verdadeiro sentido da vida.

Não existe ainda na linguagem humana, palavras que possam definir a verdadeira natureza de Deus. O Espiritismo nos faz analisar isso com muito mais racionalidade, porém ainda não é o ideal. Quando o Espírito atinge o estágio de Espírito Puro, ele compreende o Criador de modo mais amplo. Até lá, sua idéia a respeito do Pai é apenas relativa ao seu grau de adiantamento.

1.1 - O ESPÍRITO

O Espírito é o princípio inteligente da Criação. No plano material, ele está presente em todo elemento vivo. Os Espíritos são criados simples e ignorantes. Todos estão sujeitos à Lei da Evolução. Em fases primitivas, não pensam, mas movem-se por sensações. Mais tarde, são dirigidos pelo instinto; depois, pela inteligência; e, por fim, chegam à razão e à angelitude.

Os Espíritos são os seres inteligentes da Criação. Habitam o Universo em variados estágios de desenvolvimento e diversas categorias de mundos. Foram criados simples e ignorantes, isto é, sem sabedoria e sem a consciência do bem e do mal. São dotados de aptidões para adquirir o conhecimento intelectual e moral através de encarnações.

No princípio, o Espírito é como uma criança, sem vontade própria definida. Depois, aos poucos, vai se tornando livre através das experiências reencarnatórias. Não é divisível, nem tem sexo. Não é palpável, embora não seja o nada, pois o nada não existe. É errado confundi-lo com a inteligência. Os dois se interagem, mas, na verdade, a inteligência é um atributo do Espírito.

Quando encarnado, o Espírito recebe a definição de Alma. Desencarnado e habitando o plano espiritual à espera de uma nova encarnação, diz-se que está "errante". Apenas os Espíritos puros não são errantes, pois não necessitam mais da experiência reencarnatória.

É importante destacar que é na matéria que o Espírito é testado em suas potencialidades, embora continue progredindo na dimensão espiritual. No plano invisível, pode estudar em cursos ministrados nas colônias transitórias e ter uma visão mais ampla dos conhecimentos, mas terá que colocar em prática, na matéria, as lições aprendidas. A Terra é uma grande escola onde todos os homens e seres vivos crescem para Deus.

"O Espírito progride igualmente na erraticidade. Nela adquire conhecimentos especiais que não poderia adquirir na Terra. Suas idéias então se modificam. O estado corpóreo e o estado espiritual são para ele as fontes de duas formas de progresso que se desenvolvem solidárias. É por isso que ele passa alternativamente por esses dois modos de existência" - (Allan Kardec - O Céu e O Inferno, cap. III, item 10).

a) Natureza dos Espíritos

"Dizemos que os Espíritos são imateriais porque a sua essência difere de tudo o conhecemos pelo nome de matéria" - (Allan Kardec - O Livro dos Espíritos, item 82).

Os Espíritos são de natureza etérea. Pode-se afirmar que são uma chama, uma centelha ou um clarão. A linguagem humana é muito limitada para exprimir sua verdadeira essência. Não se deve defini-lo como imaterial, pois que é algo. Quando nos referirmos ao Espírito, seria mais apropriado usarmos o termo "incorpóreo’’.

Os Espíritos foram criados por Deus. São, pois, constituídos de alguma coisa. Como e quando foram criados constituem-se em mistérios não revelados. Existem algumas teorias que tentam explicar a origem dos Espíritos, mas não o fazem com clareza, por falta de referenciais que possam exprimir certas idéias abstratas.

Qual seria o destino final do Espírito, depois que atingem a condição de Espíritos puros? Esta pergunta foi feita por Allan Kardec ao Espírito de Verdade, que deu a seguinte resposta:

"Há muitas coisas que não compreendeis, porque a vossa inteligência é limitada; mas não é isso razão para as repelirdes. O filho não compreende tudo o que o pai compreende, nem o ignorante tudo o que o sábio compreende. Nós te dizemos que a existência dos Espíritos não tem fim; é tudo quanto podemos dizer, por enquanto" - (O Livro dos Espíritos, questão 83).

1.2 - A MATÉRIA

A matéria é uma das variações de um elemento básico primitivo chamado "fluido universal", que estudaremos mais adiante. Ela existe em diversos estados na natureza variando infinitamente da ponderabilidade à imponderabilidade ou eterização. Não podemos defini-la apenas como aquilo que tem extensão, impenetrabilidade e que impressiona os sentidos físicos, como afirma a Ciência. A matéria também pode existir numa condição tão etérea e sutil, a ponto de não ser percebida pelos sentidos convencionais.

A matéria é o meio através do qual os Espíritos desenvolvem suas potencialidades e manifestam suas obras. Kardec diz que a matéria é o agente, o intermediário, com a ajuda do qual e sobre o qual o Espírito atua.

a) O Universo

Com o progresso da Ciência, descobriu-se certas leis e princípios que vieram explicar muitos mistérios existentes, quanto à origem do mundo e do Universo. Ficou demonstrado, por exemplo, que a Criação não se resumia na região circunvizinha à Terra, como a princípio se pensava. Havia no espaço distante muito mais. Planetas, cometas, estrelas, nebulosas e galáxias formam esse majestoso conjunto chamado Universo.

A humanidade progride constantemente no campo científico, facilitando a evolução do homem e da própria sociedade. Aos poucos, os véus dos mistérios vão sendo levantados e o homem vai se conscientizando do quanto é pequeno, frente a grandiosa obra do Criador. Porém, algumas questões a respeito da origem e destino das criaturas nunca tiveram explicações convincentes. Com o advento do Espiritismo, os Espíritos superiores, através de revelações mediúnicas, transmitiram idéias mais completas sobre o ser humano e tudo que o cerca.

Os Espíritos disseram que o Universo abrange a infinidade de mundos que vemos e que não vemos, o espaço que há por toda parte, todos os seres animados e inanimados, os astros que se movem, assim como os fluidos e as energias da natureza.

A Ciência explica que o Universo é formado por dois elementos básicos: matéria e energia. A matéria seria uma forma condensada da energia, conforme demonstram as experiências atômicas.

Os Espíritos revelaram que a Criação na verdade se assenta em três princípios fundamentais: Deus, Espírito e Matéria. A matéria e a energia, segundo eles, seriam uma forma condensada e ativa do fluido universal respectivamente.

b) Os mundos

Os mundos são formados pela condensação da matéria disseminada no espaço universal. São as estrelas, os planetas, os cometas, as nebulosas etc. Jesus Cristo, referindo-se à pluralidade dos mundos habitados, afirmou:

"Na casa de meu Pai há muitas moradas; se não fosse assim, eu vô-lo teria dito; vou preparar-vos lugar" - (João, 14:2).

De uma maneira geral, os mundos habitados podem ser classificados em cinco categorias distintas:

Mundos primitivos: Os mundos primitivos são planetas onde os Espíritos realizam suas primeiras experiências encarnatórias. A Terra, no passado distante, já esteve neste estágio primário.

Mundos de expiação e provas: Mundos de expiação e provas são planetas mais adiantados que os mundos primitivos. Mas, por causa do pouco adiantamento moral de seus habitantes, o mal e o sofrimento ainda predominam na sociedade. É um lugar onde os Espíritos resgatam dívidas contraídas perante a Lei Divina e passam por provas destinadas ao seu aperfeiçoamento moral e intelectual. O mundo terreno atualmente está nesta categoria.

Mundos regeneradores: Os mundos regeneradores são orbes onde não há mais expiações, mas existem provas pelas quais o Espírito encarnado ainda tem que passar para adiantar-se. São os mundos de transição entre os de expiação e provas e os felizes.

Mundos felizes: Os mundos felizes são os planetas onde predominam o bem e a justiça na vida social. Nessas sociedades não há mais injustiças de nenhuma natureza e os povos são fraternos uns com os outros, ajudando-se reciprocamente.

Mundos divinos: São aqueles onde reina absolutamente o bem, sem qualquer mistura com o mal. Constituem-se em moradas de Espíritos superiores e da felicidade dos eleitos.

1.3 - OS SERES VIVOS

Os seres vivos são produto da união do Espírito com a matéria, através da vontade de Deus. O corpo material dos elementos vivos é formado por agrupamentos orgânicos chamados células que, por sua vez, são formadas por grupos moleculares e átomos, animados pelo fluido vital, de que falaremos adiante. Toda essa complexa organização é dirigida pelo princípio inteligente.

a) Reino vegetal

O reino vegetal compreende o reino das plantas. É composto de variadas espécies, onde as formas espirituais primitivas sofrem o primeiro processo de aperfeiçoamento no ambiente material. De modo geral, pode-se dizer que a vida no reino vegetal é caracterizada pela fotossíntese, um processo onde as plantas, aproveitando a energia solar, fazem a síntese da matéria orgânica para sua sobrevivência na superfície do planeta.

b) Reino animal

O Reino animal agrupa os seres animados. São os insetos, os peixes, as aves, os animais irracionais, o homem etc. Nessas criaturas, o processo de alimentação e o sistema nervoso são mais aperfeiçoados, segundo a necessidade de cada uma delas. O reino animal abriga Espíritos num estágio superior ao reino dos vegetais. A espécie humana é a classe mais adiantada das entidades espirituais que o compõem.

1.4 - A TRINDADE UNIVERSAL

Vimos que matéria e fluido são uma só grandeza, ou seja, o princípio material. Além dela, existe o princípio inteligente, ou espiritual, constituindo-se na segunda grandeza da Criação. Acima deles está a causa de ambos: Deus.

Eles formam a Trindade Universal: Deus, Espírito e Matéria. Portanto, existe a matéria como Princípio Material, fluido universal; o Espírito, como Princípio Espiritual e inteligente; e acima de tudo Deus, o Criador e mantenedor de todas as coisas. Esses três fundamentos são o princípio de tudo o que existe.


http://www.espirito.org.br/portal/doutrina/espiritismo-para-iniciantes-1.html

A CRIAÇÃO!

FILOSOFIA ESPÍRITA.

A História nos aponta que, em 1650, James Usher, Arcebispo de Armagh, na Irlanda, grande autoridade em estudos bíblicos, sobretudo em numerologia, proclamou o resultado de suas pesquisas sobre a idade do Universo. Em seu entendimento, a Criação teria acontecido no ano 4004 A.C.

Tal afirmativa recebeu o aplauso dos religiosos e foi aceita, ou imposta, à Ciência da época. Lembre-se, caro leitor, que Giordano Bruno, grande filósofo italiano, havia morrido na fogueira, condenado pela Santa Inquisição, apenas 50 anos antes, em 1600, por ter afirmado que o Sol era o centro do sistema planetário, que a Terra se movia e por outras heresias, como existirem outros planetas habitados.

As afirmativas de Usher foram posteriormente confirmadas por John Lightfoot, Mestre do St. Catherine's College, de Cambridge. Para o ilustre religioso, a Criação teria ocorrido no dia 23 de outubro, precisamente às 9 horas da manhã do ano de 4004 a.C.

Estariam certos esses teólogos? O universo teria sido criado há cerca de 6.000 anos, como querem, até hoje, muitos religiosos?

Seria realmente esta a verdade? Ou, mais uma vez, os homens concluíram iludidos pela letra, impulsionados por interesses às vezes mesquinhos, sem levarem em conta o espírito da letra?

Qual a realidade? Teria o Universo apenas 6.000 anos, como queriam Usher e Litghfoot ou como entende a Ciência atual, que estabelece a criação do Universo há 20 bilhões de anos, quando um átomo, uma partícula de energia extremamente concentrada, explodiu, dando origem ao Universo? Esta é a teoria da "Grande Explosão" ("Big Bang") proposta pelo astrônomo belga Georges Lemailtre.

A "Grande Explosão" teria arremessado a imensidão de partículas que, no decorrer dos milênios, deu origem às galáxias e a todos os objetos celestes.

Segundo a Cosmologia mais moderna, a imensidão de poeira cósmica, resultante do Big Bang, espalhada no espaço, determinou o aparecimento dos corpos celestes: galáxias, nebulosas, estrelas, planetas, asteróides, cometas, quasar e outros corpos siderais.

As galáxias são grandes conjuntos de estrelas, separadas umas das outras por grandes distâncias. Existem mais de 100 bilhões de galáxias no Universo e cada uma delas é formada por dezenas, centenas de bilhões de estrelas.

Nosso sistema solar pertence a uma galáxia: a Via Láctea, que surgiu há 14 bilhões de anos, com o nascimento das estrelas pela condensação de grandes nuvens de poeira cósmica, resultante da Grande Explosão. Os astrônomos calculam que ela possui mais de 100 bilhões de estrelas.

Sabe-se hoje que há 4,5 bilhões de anos uma imensa nuvem, existente em nossa galáxia, começou a se concentrar e, por ação da força da gravidade, principiou a girar, concentrando-se no centro e ficando cada vez mais quente e brilhante. Pontos de maior condensação formaram-se em vários locais do disco de nuvem que envolvia o núcleo, constituindo os chamados protoplanetas. Com o desenvolvimento do processo de reações químicas e termonucleares, o centro da nuvem deu origem a uma estrela denominada Sol e os núcleos ao seu redor formam os planetas: Mercúrio, Vênus, Terra, Marte, Júpiter, Saturno, Urano, Netuno e Plutão, compondo o Sistema Solar.

Nossa Terra, assim formada, era há 3,5 bilhões de anos uma enorme esfera incandescente - verdadeira bola de fogo girando em torno do Sol. Aos poucos, com o passar dos milênios, a superfície da Terra foi esfriando, de tal sorte, que, há 3 bilhões de anos, se formou a crosta terrestre, com terras e mares, continuando a parte interna e mais profunda como matéria efervescente.

O Universo é tão grandioso, que os cientistas determinam as distâncias com uma medida chamada ano-luz. Um ano-luz corresponde ao espaço percorrido pela luz em um ano.

Sabe-se que a luz se move à velocidade de 300 mil quilômetros por segundo; portanto, em um segundo, a luz percorre 300 mil km; em um minuto 18 milhões de km; em 1 hora, 1 bilhão e 80 milhões de km; e, em um ano percorre 9 trilhões e 461 bilhões de km.

Voltemos à nossa galáxia, para melhor a conhecermos: A Via Láctea tem forma espiral. Tem 180 mil anos-luz de diâmetro e 16 mil anos-luz de altura. Movimenta-se continuamente no espaço sideral, girando em torno de si mesma, a uma velocidade de 280 km por segundo, e leva 200 milhões de anos para dar um giro completo sobre si mesma.

Para termos uma idéia da grandiosidade da Criação Divina, lembremos que a estrela mais próxima do nosso Sol, a Alpha Centauri, está distante cerca de 4 anos-luz (37 trilhões de quilômetros) e o "objeto" mais distante, que é um "quasar" (objeto de aparência estelar), está a 17 bilhões de anos-luz (17 bilhões x 9 trilhões e 461 bilhões de quilômetros)


Do livro: Tire suas dúvidas - Grandes Temas Espíritas
Autor: Homero Moraes Barros
Editora Didier

PRESTEM ATENÇÃO!!!

ESTA É A VISÃO DOS ESOTÉRICOS!
OK??

OS TESTÍCULOS E OS OVÁRIOS - SAÚDE E BEM ESTAR

http://www.esoterikha.com/saude/saude-testiculos-ovarios.php

ESTE SITE NOS MOSTRA A REALIDADE DO ESOTERISMO.

As secreções internas dos testículos e dos ovários são definitivas para a vida do ser humano sobre a Terra. As diferenças fundamentais entre o homem e a mulher se devem à secreção dos testículos e dos ovários.

Para a reprodução da espécie humana só se necessitam um espermatozóide e um óvulo. Isso é tudo. Não vemos cientificamente por que motivo o ser humano goze derramando milhões de espermatozóides quando realmente somente se necessita um só. O ovo é grande e redondo, possui núcleo próprio com um protoplasma grosso que tem aspecto de gema. O espermatozóide é distinto: é comprido e fino, tem um corpo pontiagudo e oval onde se encontra o núcleo fundamental. Ele possui ainda uma cauda comprida como o peixe.

O movimento do ovo feminino entre as águas da vida é lento e aguarda pacientemente que o espermatozóide do varão o busque. O espermatozóide do varão, impulsionando-se com sua cauda de peixe entre as águas do caos sexual, navega muito ligeiro em busca do ovo que o espera. Os biólogos não sabem com toda exatidão científica qual é a causa causarum que une o esperma ao ovo. Isso é um enigma para a Ciência. Lançam-se hipóteses como em tudo, opiniões mais ou menos científicas. Crê-se que o protoplasma do ovo possua uma grande atração química pelo do espermatozóide. Tudo isso são hipóteses, mas nada mais que isso: Hipóteses! Ainda que a hipótese fosse certa, tampouco resolveria o enigma. Não poderíamos, logicamente, admitir que uma operação química se faça por sua conta própria sem um princípio consciente diretriz. Do protoplasma do ovo passaríamos ao energetismo do ovo. A lógica nos convida a aceitar a energia como campo magnético de atração para o ovo. A lógica nos convida a aceitar a eletricidade como força dinâmica impulsionando o espermatozóide até o óvulo. Em última síntese o átomo é um expoente de energias. As forças eletromagnéticas de todo protoplasma são uma tremenda realidade. Tudo irradia e admitimos a mecânica dos fenômenos, mas necessitamos de uma explicação nominal das Leis que a dieta mecânica regula. Realmente a consciência cósmica resulta ser a inteligência primária que estabelece a união do espermatozóide com o óvulo. Não poderíamos aceitar um fenômeno inteligente sem uma causa também inteligente. Fatos são fatos e temos que render-nos ante eles.

Os Gnósticos falam do Terceiro Logos. A Ciência deve saber que o Terceiro Logos é precisamente a inteligência primária. O Terceiro Logos não é um indivíduo. O Terceiro Logos dos Gnósticos é a inteligência primária da Natureza.

A Energia Criadora do Terceiro Logos é a inteligência primária que une o espermatozóide ao óvulo. A Energia Criadora do Terceiro Logos se bipolariza em Positiva e Negativa.

O espermatozóide é um expoente das forças positivas do Terceiro Logos. O óvulo é um expoente das forças negativas do Terceiro Logos. Ambos pólos da Energia se unem para Criar. Lei é Lei.

Quando o espermatozóide entra no óvulo, passa pela decapitação de João Batista.

A semelhança dos animais na etapa embrionária, incluindo o homem, é exibida pelos materialistas darwinistas para provar que os seres superiores e mais complexos surgiram por evolução e transformação das espécies, dos seres inferiores e mais simples.

Nós, os gnósticos, consideramos que a semelhança dos animais, incluindo o homem, na etapa embrionária demonstra de forma insofismável duas coisas: a unidade da vida e uma semente original. Nesse caso a semente de tudo o que existe dorme como semente original dentro dos átomos seminais da Grande Vida Universal.

A Energia Criadora do Terceiro Logos faz fecundas as águas da vida, (o sêmen universal), e brotam os germens de toda a existência. Cada espécie tem um protótipo universal no Caos Original. No famoso Blastoderme existem três capas de células absolutamente diferentes. A primeira é a interna, a segunda é a média e a terceira é a externa. O zoosperma, unido com o óvulo, multiplica-se por divisão celular, e cria essa comunidade celular chamada Blastoderme. O estado gelatinoso do zoosperma e do óvulo demonstram que no princípio do Universo a vida era sutil, fluídica, gelatinosa e mais tarde grosseira e dura. Nós concordamos com a grande tartaruga adorada pelos índios maias. Primeiramente ela é sutil e gelatinosa, e logo aparece sua dura concha cheia de constelações e de mundos. Tal como é em cima é embaixo. Afortunadamente, os homens de Ciência descobriram Mundos Protoplasmáticos.

O zoosperma e o óvulo devem passar por um processo de evolução e desenvolvimento antes de ser convertidos em um novo veículo da alma humana. As causas do amadurecimento do ovo-esperma são muito desconhecidas pela Biologia.

As causas íntimas do amadurecimento de um Universo em estado protoplasmático são um enigma para a Astronomia e para a Astrofísica. Muito interessante é que os homens de ciência resolveram o enigma dos cromossomos. Por que o ovo só tem 48 cromossomos? Por que o Zoosperma tem também 48 cromossomas? Enigmas! Enigmas! Enigmas! Por que motivo íntimo o zoosperma e o óvulo perdem, durante o amadurecimento, a mesma quantidade matemática de 24 cromossomos cada

um? Ouem é que se encarrega de fazer um cálculo matemático tão perfeito? Por que motivo, quando se unem o zoosperma e o óvulo depois do amadurecimento, voltam juntos a ter a mesma quantidade original de 48 cromossomos?

Nesse caso existem duas operações matemáticas: Subtração e Soma. O cociente básico é 48. Poderiam existir operações matemáticas sem uma inteligência matemática? Tudo isso está demonstrando por simples indução lógica a realidade da inteligência primária da Natureza, a qual chamamos, os gnósticos, de Terceiro Logos.

Depois que o óvulo foi fecundado pelo espermatozóide gesta-se no útero durante 9 meses. A célula do ovo e do espermatozóide tem dois núcleos, o do esperma e do óvulo. Esses dois núcleos se unem sabiamente. O protoplasma dos dois núcleos se mescla. Dentro da célula-ovo existe uma esfera de atração. A grande esfera de atração também se bipolariza obedecendo a inteligência primária: Cada uma das duas polaridades dessa esfera de atração converte-se em dois núcleos em fusão. No centro do fuso nuclear encontram-se revoltos os cromossomas e os genes. Os genes estão dentro dos mesmos cromossomos. Eles nos dão a herança do pai e da mãe. Entretanto, nem tudo o que o ser humano recebe é hereditário. De famílias virtuosas nascem terríveis assassinos e de famílias medíocres grandes gênios.

Se um clarividente examina o espermatozóide maduro que se dirige até o óvulo, pode ver nele (no vértice superior) um átomo importantíssimo, o Átomo Semente. Esse átomo é um trio de matéria, energia e consciência. Desse átomo sai um fino fio que está unido a certa soma de valores energéticos da Natureza. Esses valores são o Ser, a Alma. Nós somos pontos no espaço que podemos servir de veículos a determinadas somas de valores da natureza. A morte é uma subtração de frações. Dessa subtração ficam apenas os Valores.

Os valores da natureza são eletromagnéticos. Os valores transformam o corpo físico já morto mediante novos processos biológicos. Essa é a lei da transformação biológica. Lei é lei e lei se cumpre.

Dentro dos átomos físicos do óvulo-esperma há energia. Essa energia está organizada e essa organização é a Múmia. Dentro de cada átomo da Múmia estão os átomos do corpo astral. Dentro do corpo astral estão os valores de consciência da Natureza. (Conhecemos a constituição sétupla da Teosofia, mas estamos sintetizando.)

Não estamos lançando mais dogmas. Estamos analisando e cientificamente já se pode materializar o corpo astral em alguns laboratórios. Fatos são fatos e temos de nos inclinar perante eles.

As virtudes e defeitos de cada homem dependem da qualidade dos valores que o encarnem. Pela época do domínio mouro na Espanha, existiu um santo

mouro que estudava o Alcorão. Ele lia o Alcorão e estudava a Bíblia. O resultado foi que esse conhecimento fez-lhe mal e levou-o ao ceticismo. Aquele homem morreu cheio de dúvidas. Os valores desse homem se reencarnaram em um homem que se chamou Voltaire. Qualquer homem pode desenvolver a clarividência e ver os valores da consciência evolucionando através do tempo e do espaço.

O grande fisiólogo americano Brown Sequard, citado pelo dr. Krumm-Heller, inventou um sistema de cura que foi qualificado por muitos como imoral. Esse sistema consiste em excitar o aparato sexual sem chegar a derramar o sêmen. Neste caso, o sêmen se cerebriza e o cérebro se seminiza. Assim, o sêmen é assimilado dentro do organismo, nutrindo o sistema nervoso e fortificando-o totalmente. Esse sistema não seria um obstáculo para a reprodução da espécie. Um espermatozóide facilmente escapa do organismo sem necessidade de derramar milhões espermatozóides que se perdem numa ejaculação seminal.

O sistema de Brown Sequard é o próprio Arcano AZF.

O dr. Krumm-Heller disse que com esse sistema cura-se a impotência sexual e em sua Novela Rosa-cruz ele diz: “Os estudos rosa-cruzes nos ensinam que o sêmen é o astral líquido do homem, é a vida, encerra o poder, mas um poder tão imenso que sabendo maneja-lo pode-se alcançar tudo. Por isso é tão importante conhecer os segredos rosa-cruzes, pois se possui uma arma poderosa contra as adversidades do destino”.

E continua: “O rosa-cruz mago sente a mesma excitação nervosa ao operar como os outros ardentes de desejo. Superam a si mesmo, os homens, que naquele momento de sensação amorosa fariam tudo MENOS SEGUIR A MULHER”.

Os sábios astecas do México antigo sabiam muito bem o que se podia fazer naqueles momentos de transe. Nos pátios empedrados dos templos astecas, homens e mulheres permaneciam nus amando-se e unindo-se sexualmente durante meses inteiros.

Os casais sabiam retirar-se antes do espasmo para evitar a ejaculação do sêmen Eles não permitiam que se escapasse de seu organismo o sêmen maravilhoso. Este é o sistema do grande fisiólogo americano Brown Sequard. Com este sistema se alcança o despertar da Kundalini. Certamente os médicos não poderiam encontrar a Kundalini com o bisturi, mas se praticam os exercícios Gnóstico-Rosa-cruzes, então se farão clarividentes. Todo clarividente pode ver a Kundalini.

A Kundalini é a serpente Quetzalcoatl dos astecas, é o fogo do Espírito Santo, é a Serpente Ígnea de nossos mágicos poderes.

Os yogues clarividentes vêem uma flor de lótus com quatro pétalas maravilhosas situada exatamente entre os órgãos sexuais e o ânus.

Esta é a Igreja de Éfeso do chacra Muládhara. Dentro desse chacra se acha a Kundalini. Tem a forma da Serpente Sagrada, é um fogo solar, espiritual, que só se pode ver com a clarividência e não pode ser encontrada com o bisturi porque não é material.

A Kundalini é o Akasha concentrado. O Akasha é a causa do éter e a sede do som. Só podem encarnar o Verbo aqueles que conseguem levantar a serpente Akáshica pelo canal central da medula espinhal. A Kundalini se desenvolve, evoluciona e progride dentro da aura do Logos Solar.

O chacra dos órgãos sexuais é a sede do Tattwa Pritvi (o éter da terra). Quem maneja o Tattwa Pritvi pode controlar os terremotos.

Na medula espinhal existem 7 centros magnéticos. Esses 7 centros estão conectados com os 7 plexos importantes dos sistema nervoso Grande Simpático. Nesses 7 centros localizam-se todos os poderes dos Tattwas. O Akasha Flamígero abre esses sete centros táttwicos da medula espinhal. Conseqüentemente nos fazemos Mestres nos tattwas.

O primeiro centro magnético da medula espinhal é a sede do Tattwa Pritvi o poder do sexo. O segundo centro corresponde ao chacra prostático. É a Igreja do Tattwa Apas (água), éter líquido. O terceiro centro localiza-se na altura do umbigo, em relação com o plexo solar. É a Igreja do tattwa Tejas (éter ígneo), o fogo universal. O quarto centro da medula espinhal corresponde ao chacra do coração. Essa é a sede sagrada do Tattwa Vayu (éter gasoso). Esses são os quatro centros táttwicos inferiores do templo humano. A torre do templo é o pescoço e a cabeça. Na torre existem três centros táttwicos superiores. O quinto centro é o da laringe. Essa é a Igreja do Verbo. Sem o Akasha não existiria o som. A Kundalini se torna criadora com a palavra. O sexto centro magnético se relaciona com o chacra frontal. Esse é o centro da clarividência. A Kundalini abre esse centro e o ser humano se torna clarividente, podendo assim ver o ultra. O sétimo centro táttwico é o chacra das mil pétalas, situado na glândula pineal. Quando a Kundalini abre esse chacra recebemos a polividência, a onisciência. Como o sistema de Brown Sequard recebemos todos esses poderes com a condição de não ejacular jamais na vida o sêmen. Eis o sistema do sagrado Grande Arcano AZF. O sábio cabalista norte-americano Manly P. Hall, citado pelo dr. Francisco A. Propato, disse em seu livro sobre Anatomia Oculta o seguinte: “Aqueles que forem incapazes de levantar o fogo da medula espinhal através do canal Sushumna serão lançados a um reino lateral, semelhante ao dos símios atuais.” (O canal Sushumna corre ao longo e dentro do canal medular.) O Arcano AZF só deve ser praticado entre esposo e esposa em lares legitimamente constituídos. Aqueles que praticam o Arcano AZF com várias mulheres cometem o grave delito do adultério.

Nenhum adúltero logrará, jamais, o despertar da Kundalini e não obterá os poderes dos tattwas. (Isso também se aplica às mulheres. Nenhuma mulher adúltera alcançará jamais o despertar da Kundalini e dos poderes dos tattwas.) O iniciado e a iniciada gnósticos que adulteram perdem seus poderes.

Deus é o Íntimo. Deus é o Ser Interno de todo homem que vem a mundo. Deus é Hermafrodita Divino, Macho-Fêmea, e não necessita desposar para acender seus fogos, mas o homem não é Deus. O homem não pode acender seus fogos sem a mulher.

O homem deve deixar o orgulho de crer-se Deus porque o homem não é mais que um mísero verme que se arrasta no lodo da terra. A grande yoguine H.P. Blavatsky, depois que tornou-se viúva do conde, teve de se casar com o coronel Ollcot para despertar a Kundalini e alcançar os poderes dos tattwas.

A Ordem Sagrada do Tibet ensina ao discípulo o Arcano AZF. Nos Mistérios do Egito ensinava-se o Arcano AZF a todos os iniciados e aqueles que divulgavam o Grande Arcano eram condenados à morte, levados a um pátio e, contra o muro, contavam-lhes a cabeça, arrancavam-lhes o coração e suas cinzas eram lançadas aos quatro ventos.

Nos pátios dos astecas, homens e mulheres permaneciam nus praticando o Arcano AZF durante meses inteiros. Aquele que por desgraça chegasse a ejacular a entidade do sêmen era condenado à pena de morte por haver profanado o Templo, e então o decapitavam.

Os iniciados das escolas de Mistérios de todos os templos alcançaram a iniciação com o Grande Arcano. Nunca, em nenhuma escola de Mistérios, se conheceu alguém que houvesse alcançado a Iniciação sem o Arcano AZF (isto é, o Grande Arcano).

Em certa ocasião, depois de efetuarmos uma palestra, um discípulo que era solteiro nos perguntara se era possível praticar com uma mulher do mundo astral. Nós respondemos que somente com uma mulher de carne e osso se alcança o despertar da Kundalini. Outro irmão solteiro queria praticar com mulheres imaginárias. Isso é gravíssimo. Quando a mente cria uma efígie mental ela recebe consciência e se converte em um demônio tentador no plano mental que nos descarrega sexualmente durante o sono com poluções noturnas.

É muito difícil para um estudante desintegrar essas efígies mentais. Pelo comum, o estudante torna-se vítima de seu próprio invento. O melhor é conseguir a esposa que coopere realmente na Grande Obra. Aqueles que não têm esposa devem sublimar suas energias criadoras com exercícios ao ar livre ou com grandes caminhadas. Fazer excursões, praticar natação, escutar boa música, admirar as grandes obras de ate, escultura,

pintura etc.. Assim também se consegue a transmutação. Assim, os solteiros sublimarão suas energias sexuais até levá-las ao coração. Nesse centro da vida essas forças criadoras se mesclam com as ondas luminosas do Cristo Interno e se elevam às regiões inefáveis da Grande Luz.

Com o sentido estético, com a caridade e o amor logramos sublimar as energias sexuais. Sem dúvida e em nome da verdade temos de afirmar que se vós quereis a iniciação e anelais o despertar da Kundalini e os poderes dos tattwas, necessitais conseguir a mulher porque o iniciado sem a mulher é como um jardim sem água.

Muitos estudantes místicos crêem que são castos porque não têm mulher. Sem dúvida, para cúmulo de desgraças, têm poluções noturnas. Nessa forma perdem miseravelmente o sêmen cristônico no qual se encontra a gênesis da Grande Vida.

Em toda semente vegetal, animal ou humana se encontra latente o fogo sagrado do Logos Solar (o Cristo). Por ele tem o poder de reproduzir-se. O homem deve cuidar da semente como ouro potável. Com o Arcano AZF extraímos heroicamente da semente o fogo sagrado da Kundalini. As poluções noturnas se extinguem radicalmente com o Arcano AZF. Nós somos filhos de um homem e de uma mulher. Não somos nenhuma teoria. O Verbo, o Filho do Homem, é filho de homem e mulher; filho de imaculadas concepções. Necessitamos levantar o Filho do Homem dentro de nós mesmos, por isso necessitamos da mulher.
video

SINAIS DO AMOR

MAGIA OU BRUXARIA???
Vale a pena você perder, ou somar uns minutinhos com este vídeo.

Bjus

MOMENTOS NOSTALGIA!

video

APRENDA ECONOMIZR $$$$$$, COM OS EXEMPLOS DO MILENAR POVO JUDEU!!! (MANINHO ME ENVIOU)

Case n. 1

O pai judeu falou:
- Isaac já fez?
- Sim, babai.
- Jacob já fez?
- Sim, babai.
- Abrão já fez?
- Sim, babai.
- Sarah já fez?
- Sim, babai.
- Raquel já fez?
- Sim, babai.
- Então ja bode puxar a descarga...

Case n. 2
- Isaquinho, vai pegar martelo na casa de Abraão.
- Abraão não está, pai.
- Pega martelo na casa de Jacó.
- Jacó emprestou martelo pra Levi.
- Então vai pegar martelo com Levi.
- Levi foi viajar.
- Então pega nossa martelo mesmo!

Case n. 3
O sujeito vai para Israel visitar a família e aproveita para visitar alguns lugares históricos: Jerusalém, Belém, o Rio Jordão...
Quando chega no Mar da Galiléia, ele resolve fazer um passeio de barco e pergunta o preço para um sujeito que alugava barcos:
- Oitenta dólares por hora!
- Oitenta dólares? O senhor está maluco? É muito caro!
- Mas esse é o lago onde Jesus andou sobre as águas!
- Também pudera! Com esse preço por hora!

PRA RIR + UM POUQUINHO

Numa dinâmica de grupo, não foi difícil adivinhar o candidato aprovado.

Esta era a pergunta:

O que você gostaria que falassem de você no seu velório?

O primeiro disse:

"Que eu fui um grande médico e um ótimo pai de família"

O segundo disse:

"Que eu fui um homem maravilhoso, excelente pai de família e um professor de grande influência no futuro das crianças."

Aí, o terceiro arrasou:

"Gostaria que eles dissessem 'Olha, ele está se mexendo!'..."

BENEFÍCIOS DOS ANTIOXIDANTES!

Elisabete Fernandes Almeida é escritora e editora médica, com especialização em Projetos de Educação Médica Continuada.
É presidente da Latin-Med Editora Médica, editora médica da Conexão Médica, diretora do departamento de Educação Médica para Leigos da Associação Paulista de Medicina e atua em vários sites médicos.
Dúvidas e sugestões sobre esta coluna devem ser encaminhadas para o e-mail ceoelisabete@latinmed.com.br

Dois artigos médicos relevantes sobre o mesmo assunto foram publicados no mês passado (agosto de 2003).

Num deles, pesquisadores demonstraram que as mitocôndrias (estruturas responsáveis pela produção de energia nas células) são a principal fonte de oxidantes e o principal alvo dos efeitos nocivos dessas moléculas. A lesão mitocondrial oxidativa parece ser a causa, e não a conseqüência, do envelhecimento celular.

Eu havia indicado, já há alguns anos, que a teoria inicial sobre o envelhecimento celular era conhecida como apoptose. Segundo esse conceito, cada célula sofre um número determinado de divisões e depois deixa de funcionar. Alguns estudos discordam desse processo, indicando que a função mitocondrial é desregulada, inicialmente, devido à ação dos pró-oxidantes, produzidos pelas próprias mitocôndrias. Os pesquisadores sugerem, ainda, que estas lesões oxidativas favorecem o desenvolvimento de mutações no DNA, que contribui para piorar a função celular.

No outro artigo, publicado no Mutagenesis, pesquisadores noruegueses investigaram os efeitos da ingestão de antioxidantes sobre o desenvolvimento de lesões cromossômicas. O estudo incluiu 28 participantes com antecedente de infarto do miocárdio e 57 indivíduos saudáveis, que receberam suplementos de antioxidantes durante três meses. Os suplementos consistiam em doses diárias de vitamina C, betacaroteno, vitamina E e selênio. Foram coletadas amostras de sangue no início e no final do estudo, com o objetivo de pesquisar evidências de lesões cromossômicas em leucócitos. Os indivíduos que receberam antioxidantes apresentaram uma redução estatisticamente significativa na fração de células com lesões cromossômicas. Antes do uso destes suplementos, foi possível induzir lesões cromossômicas em 63% das células, em comparação com apenas 27% após o tratamento. O efeito foi mais pronunciado entre os tabagistas. No grupo de fumantes que utilizou antioxidantes, foram observadas apenas 12% de células alteradas, em comparação com 81% no grupo de indivíduos que receberam placebo. Desta forma, os pesquisadores concluíram que os resultados favorecem a hipótese de que os antioxidantes permitem evitar lesões genéticas.

É possível encontrar inúmeros estudos publicados na literatura médica das últimas décadas indicando que antioxidantes e determinadas substâncias podem apresentar efeitos protetores em relação ao câncer. Um estudo publicado em 1998 no Annals of Internal Medicine acompanhou um grande número de mulheres que utilizaram suplementos de ácido fólico durante mais 15 anos. O resultado demonstrou uma incidência de câncer de cólon cerca de 75% menor.

Dois estudos diferentes também apontaram que o selênio pode reduzir a incidência de câncer em até 65%. Alguns membros da comunidade médica, no entanto, têm afirmado que não existem evidências dos benefícios das vitaminas e suplementos em relação ao câncer.

Gostaria de perguntar a estes médicos e pesquisadores quais são as drogas eficazes e seguras que podem ser utilizadas para reduzir o risco de câncer...

A resposta é nenhuma.

Para as centenas de milhares de pessoas preocupadas com sua saúde, recomendo o uso de um bom suplemento de vitaminas, minerais e antioxidantes. A maioria dos polivitamínicos encontrados no mercado pode ser considerada boa, ou porque apresenta quantidades e formas adequadas de vitaminas ou porque apresenta muitos antioxidantes importantes.

Então, fique esperto, e utilize um suplemento diário de vitaminas, minerais e antioxidantes.

HIV

RETIREI DESTE SITE:

http://www.hiv.org.br

É IMPORTANTE QUE VC LEIA, POIS ALGUMAS INFORMAÇÕES QUE SABÍAMOS, MUDOU, COMO JANELA IMUNOLÓGICA, ETC..

HIV

Transmissão sexual

A transmissão sexual é responsável por 75 a 85% de todos os casos de. Entre as infecções novas pelo HIV, as relações sexuais são a forma de transmissão em mais de 90% dos casos.

No início dos anos 80, a epidemia afetava principalmente homo/bissexuais masculinos. Nos anos 90, a transmissão heterossexual tem sido responsável pela grande maioria dos casos de AIDS descritos em vários países. Em 1983, no Brasil, para cada caso novo de AIDS em mulher havia 17 casos novos em homens, enquanto que em 1998 esta relação era de 1 mulher:2 homens.

O risco de transmissão do vírus ocorre tanto em relações homossexuais quanto em relações heterossexuais, tanto do homem para a mulher quanto da mulher para o homem. A chance de aquisição por cada episódio de exposição varia de aproximadamente 0,2 em 1.000 até 5 em 1.000, se a exposição for da mulher a um parceiro infectado, em torno de 0,5 em 1.000 para 8 em 1.000 se a exposição for do homem a uma parceira identificada e de 1 em 1.000 a 10 em 1.000 em homens que praticam sexo com homens.

O risco de transmissão sexual do HIV aumenta muito quando também existe uma outra doença sexualmente transmissível. As práticas de "sexo mais seguro" devem ser abertamente discutidas entre os parceiros para a prevenção da infecção pelo HIV, assim como para a prevenção de outras doenças sexualmente transmissíveis.



Sexo Oral – Há risco de transmissão do HIV ?

A transmissão pode ocorrer. Há risco de infecção pelo HIV em toda forma de relação sexual em que haja troca de fluidos corporais. Entretanto, é difícil saber a determinação exata deste risco e estudar esta forma de transmissão isoladamente. O risco é maior quando existem feridas ou processo inflamatório na boca que facilitem a contaminação (gengivites, estomatites – aftas); há sangue misturado às secreções genitais como na menstruação, por exemplo; ocorre ejaculação na boca (o líquido pré-seminal, embora em menor quantidade, também contém o vírus) e quando existem úlceras (feridas) na região genital causadas por doenças sexualmente transmissíveis.

Existem casos de transmissão do HIV pela prática de sexo oral em homens infectados pelo HIV (boca/pênis). O risco é maior quando há ejaculação dentro da boca. Apesar de ser muito inferior em relação a situações de transmissão por relações anais e vaginais, o risco de transmissão do HIV no sexo oral existe.

O risco de sexo oral com mulheres infectadas pelo HIV (boca-vagina) e o risco de sexo oral boca/ânus são teóricos. O risco de transmissão em homens e mulheres que tem os genitais estimulados pela boca de outra pessoa infectada pelo HIV, também é teórico. Risco teórico significa que não existem casos que comprovadamente tenham sido causados por esta forma de transmissão, entretanto, há possibilidade de que a transmissão possa ocorrer.

Através do sexo oral, também existe a possibilidade de transmissão de outras doenças sexualmente transmissíveis como faringite (infecções na garganta) por gonococo ou clamídia, herpes vírus, úlceras (feridas) na boca por sífilis ou estomatite por Candida.



Transmissão Homem – Mulher.

Esta forma de transmissão tem sido responsável por grande parte dos novos casos de infecção pelo HIV. Isto se deve ao fato das pessoas não se considerarem como "de risco" para a infecção, o que é um grave engano.

Apesar do risco de transmissão do vírus ser maior do homem para a mulher, também existe um risco importante de um homem se contaminar com uma mulher infectada. O vírus é encontrado nas secreções genitais femininas e masculinas, incluindo o líquido pré-seminal (antes da ejaculação) .

As principais formas de transmissão do vírus para as mulheres são: as relações sexuais vaginais e pelo ânus sem o uso de preservativos. A mucosa do ânus é mais frágil que a da vagina permitindo uma maior possibilidade de ocorrerem pequenos traumas e sangramentos e, portanto, maior chance de transmissão do vírus. Mesmo em relações sexuais sem penetração, existe a possibilidade de se contaminar. Para os homens, o risco de transmissão do vírus também envolve relações anais e vaginais sem preservativos. Este risco é maior quando o homem tem relações com uma mulher no período menstrual.



Transmissão entre Homens.

No início da epidemia, predominavam os casos de AIDS entre homo e bissexuais masculinos. Com o melhor conhecimento e conscientização, homens que fazem sexo com homens passaram a se prevenir, principalmente com o uso de preservativos em todas as relações sexuais. Desta maneira, o número de homens contaminados diminuiu muito ao longo do últimos anos. Um novo aumento do número de infecções pelo HIV entre os grupos de jovens tem ocorrido em alguns países pela falta do uso de preservativos.

As principais formas de transmissão são as relações anais receptivas ("passivas"), sem o uso de preservativos. As relações anais insertivas ("ativas") também podem transmitir o HIV, apesar de apresentarem um risco menor. Mesmo sem ejaculação, o risco de se contaminar existe.

O uso de álcool, sabões, detergentes ou cremes nas lavagens ou duchas retais deve ser evitado. Estas substâncias podem irritar e fragilizar a mucosa do reto e do ânus e aumentar o risco de transmissão do HIV. Apenas a água deve ser utilizada. As lavagens e as duchas não devem ser realizadas imediatamente antes de uma relação sexual, também pela chance de fragilizar a mucosa do ânus e do reto.



Transmissão entre Mulheres.

Existem 2 relatos em que a transmissão do HIV provavelmente ocorreu em relações sexuais entre mulheres. Isto se deve ao fato de haver possibilidade de exposição a secreções vaginais ou cervicais infectadas, ou mesmo sangue nos casos de menstruação ou de pequenos traumatismos. Quando utilizados nas relações, objetos (como os consolos) que tenham tido contato com secreções genitais não devem ser compartilhados entre as parceiras sem adequada limpeza. Uma outra opção é o uso de camisinha, trocando-a quando for utilizado na outra mulher.



O preservativo masculino é 100% eficaz ?

Há muita discussão questionando se a camisinha é 100% eficaz em prevenir a transmissão do HIV. A possibilidade de passagem do vírus por poros do preservativo também é sempre discutida. Os estudos realizados demonstram que o esperma e o vírus HIV não passam por preservativos de látex intactos. A grande maioria dos casos de falha do preservativo estão relacionados ao seu uso de forma errada. Em outras situações, o problema está relacionado ao "esquecimento ocasional" do uso de preservativo, que deve ser sempre utilizado em todas as relações sexuais. Nas relações sexuais, o mais importante é que usar o preservativo é 10.000 vezes mais seguro do que não usar. E isto também já foi comprovado em diferentes estudos. Para as pessoas que não consideram a abstinência sexual como opção, o uso de camisinha e a prática de "sexo mais seguro" são importantes formas de prevenção da transmissão do HIV. A possibilidade de ter menos medo ou preocupações de se contaminar com o HIV permite que se tenha mais prazer nas relações sexuais.

Deve-se utilizar, de preferência, preservativos já lubrificados. Quando não é utilizado preservativo lubrificado ou quando se deseja aumentar a lubrificação, são recomendados lubrificantes solúveis em água (como K-Y ou Preserv-gel, por exemplo) que permitem a sensação de umidade sem comprometer a qualidade da camisinha. Lubrificantes à base de óleo como a vaselina, cremes e etc. não devem ser utilizados. Saliva e esperma também devem ser evitados.

O uso de nonoxynol-9, um espermicida, tem sido recomendado por ter uma atuação comprovada contra o vírus HIV e outros agentes infecciosos de doenças sexualmente transmissíveis. Esta substância, no entanto, pode causar irritação em algumas pessoas, e quando isto ocorrer, deve-se evitar o seu uso.



Algumas dicas sobre o uso correto da camisinha:

Não se deve abrir a embalagem do preservativo de qualquer maneira, pois pode rasgar a camisinha. Deve-se abrir apenas um lado, de uma extremidade a outra.
Deve-se retirar o ar da extremidade da camisinha, pressionando com a ponta dos dedos. Isto dará espaço para o esperma depois da ejaculação, evitando que a camisinha se rompa.
O preservativo só deve ser colocado com o pênis em ereção.
Depois da ejaculação, o preservativo deve ser retirado com o pênis ainda ereto, segurando-o pela base e evitando que o esperma derrame.
A camisinha não deve ser reaproveitada.


O preservativo feminino.

O preservativo feminino é transparente e flexível em formato de um tubo que, quando inserido na vagina, recobre toda a sua mucosa, impedindo a troca de secreções entre os parceiros. É pré-lubrificado e descartável. Previne contra AIDS/DST e a gravidez não desejada.

Está disponível comercialmente em vários países. No Brasil, o Ministério da saúde autorizou a sua comercialização em dezembro de 1997. Atualmente estão sendo realizadas pesquisas em diferentes cidades brasileiras para avaliar a sua aceitabilidade.

Em pesquisas recentes, foram consideradas as seguintes vantagens: ser confortável, conferir autonomia para a mulher, ser de fácil manuseio e ser prático por poder ser colocado antes da relação (ao contrário do preservativo masculino que deve ser colocado após a ereção). As desvantagens apresentadas foram: o preço elevado, o medo e a insegurança durante o seu manuseio, a dificuldade na colocação, a interferência na estética e o barulho provocado durante a relação.

O uso de diafragma associado ao espermicida, que é uma opção para não engravidar, não é suficiente para prevenir a infecção pelo HIV, já que parte da vagina e a genitália ficam desprotegidas.



Outras doenças sexualmente transmissíveis e o HIV.

O risco de transmissão sexual do HIV aumenta muito quando também existe uma outra doença sexualmente transmissível.

Doenças sexualmente transmissíveis (DSTs) ou doenças venéreas são aquelas que se transmitem através do sexo, como a gonorréia, a sífilis, as infecções por clamídia, o condiloma acuminado e o herpes.

Verrugas, corrimentos, feridas e coceiras na vagina ou no pênis podem indicar a presença de uma DST. Muitas vezes estes sinais não aparecem ou surgem e rapidamente desaparecem. Mesmo que tenham desaparecido os sintomas, a doença permanece presente se não for tratada.



Beijo na boca pode transmitir o vírus ?

A epidemia de AIDS já tem quase duas décadas e as formas de transmissão do vírus são bem conhecidas. Não há nenhuma comprovação de transmissão do HIV pelo beijo. Mesmo um beijo na boca, prolongado e "profundo". É verdade que o vírus pode ser encontrado na saliva, mas isto não é tão comum, mesmo em pacientes com HIV/AIDS com doença periodontal. Além disso, a saliva é capaz de inibir a infectividade do vírus HIV.

Existe um único trabalho que aventou esta hipótese de transmissão do vírus. Foi descrito nos Estados Unidos em 1998, onde a parceira de um homem infectado pelo HIV se contaminou sem que a forma de transmissão tenha ficado clara. O casal tinha relações vaginais com o uso de preservativos, não praticavam sexo anal, haviam praticado sexo oral numa única vez e tinham relações sempre após a escovação dos dentes. Ambos tinham sangramento causado por gengivites, dentes sem boas condições e a mulher também tinha periodontite. Existe a possibilidade da transmissão do vírus ter se dado pelo contato com a mucosa da boca e pela presença de lesão nas gengivas e sangramentos.



Masturbação - Há risco de contaminação pelo HIV?

Não há risco de transmissão do vírus pela prática de masturbação. O vírus não é transmitido pelo contato de secreções genitais com a pele. Nas situações em que não haja troca de fluidos corporais, não há risco de infecção pelo HIV.

A descoberta de maneiras novas e diferentes de ter prazer sexual devem ser estimuladas com práticas eróticas que descubram outras regiões do corpo além das genitais e que evitem o contato das secreções genitais entre os parceiros.



Transmissão entre usuários de drogas injetáveis (UDI).

Em muitos locais, a transmissão do HIV se disseminou rapidamente entre os usuários de drogas injetáveis por desconhecimento da doença no início da epidemia e pelos mecanismos de rápida transmissão através do compartilhamento de seringas, agulhas e outros objetos. Em alguns locais, até 40% dos usuários de drogas injetáveis são infectados pelo HIV. No Brasil, a transmissão do HIV por uso de drogas injetáveis é responsável por 16% dos casos de AIDS notificados ao Ministério da Saúde.

Para verificar se a agulha está mesmo dentro da veia, o sangue se mistura com a droga dentro da seringa. Se esta mesma seringa ou agulha for utilizada em um outro usuário sem prévia desinfecção, a microtransfusão resultante é bastante eficaz na transmissão do vírus.

Como muitas vezes não é possível a interrupção do uso das drogas, recomenda-se a utilização de agulhas e seringas descartáveis, não compartilhadas com outras pessoas. Caso esta medida também não seja possível, recomenda-se a desinfecção de agulhas e seringas com hipoclorito de sódio (água sanitária).

Mesmo com o uso de drogas não injetáveis (drogas psicoativas, bebidas alcóolicas etc...), o risco de exposição ao HIV também existe. Isto ocorre já que, pela ação destas drogas no comportamento das pessoas, podem ser comuns as práticas sexuais de risco como, por exemplo, o esquecimento do uso do preservativo.



Transfusão de sangue e hemoderivados.

No início da epidemia, sangue e seus derivados eram responsáveis por uma grande parte dos casos de transmissão do HIV. A maioria dos casos descritos foram em pessoas que receberam sangue ou seus derivados não testados, porque ainda não existiam testes específicos para o vírus. Com a testagem de rotina em bancos de sangue a partir de 1985 e o aconselhamento adequado dos doadores, o número de casos de AIDS transmitidos por hemotransfusões diminuiu de forma bastante significativa. Atualmente, estima-se que a possibilidade da pessoa se contaminar por receber transfusão de sangue é extremamente baixa, de 1:350.000 a 1:600.000. Apesar do sangue ter sido testado e ter dado um resultado resultado negativo, o doador poderia estar na "janela imunológica" da infecção pelo HIV levando a uma possibilidade remota de um sangue testado conter o vírus. Testes cada vez melhores e mais sensíveis têm sido desenvolvidos nos últimos anos na tentativa de detecção precoce da infecção pelo HIV, evitando esta possibilidade.

Sempre que possível, tem se recomendado a utilização de sangue autólogos (do próprio paciente) ou de derivados substitutivos desenvolvidos por engenharia genética. Isto é importante pela possibilidade de prevenção não só do vírus HIV como também de outros agentes infecciosos transmitidos por transfusão de sangue.

A DOAÇÃO DE SANGUE NÃO TRAZ NENHUM RISCO DE TRANSMISSÃO DO VÍRUS
para o doador, sendo sempre utilizado material estéril e descartável na coleta de sangue.



Acidente de trabalho em profissionais de saúde.

Os profissionais que atuam na área da saúde estão expostos a sangue e outros fluidos corporais na assistência a pacientes. O risco médio de se adquirir o HIV nestas situações é de, aproximadamente, 0,3% após exposição percutânea (qualquer exposição que perfure ou provoque um corte na pele), e de 0,09 % após exposição mucocutânea (em olhos, principalmente). O risco de se contaminar com outros agentes infecciosos, como o vírus da hepatite B, por exemplo, é muito maior. Neste sentido, todas as medidas de prevenção (Precauções Básicas) devem ser utilizadas na assistência de qualquer paciente quando há manipulação de sangue, secreções e excreções, assim como no contato com mucosas e pele com áreas de integridade comprometida.

O primeiro caso de transmissão do HIV para um profissional de saúde, relacionado a acidente de trabalho, foi descrito em 1984. Desde o início da epidemia da AIDS, foram reconhecidos em todo o mundo, 95 casos comprovados e 191 casos prováveis de contaminação de profissionais de saúde pelo HIV.

Um estudo publicado em 1995 demonstrou que usar o AZT após acidente de trabalho com material infectado pelo HIV pode diminuir a chance do profissional se contaminar. A partir de 1996, passou a ser recomendado o uso de medicamentos anti-retrovirais ("coquetel") para profissionais de saúde quando estes se acidentam e se expõem ao vírus HIV. Os acidentes de trabalho com sangue e outros fluidos potencialmente contaminados devem ser tratados rapidamente, uma vez que, para atingir maior eficácia, as intervenções para evitar a contaminação necessitam ser iniciadas logo após a ocorrência do acidente.



Tatuagens, piercing, acupuntura, injeções e outros.

Em pessoas que se submetem a práticas que causem ferimentos corporais, com instrumentos perfurantes ou cortantes, a possibilidade de transmissão do HIV ocorre somente quando estes instrumentos são utilizados por várias pessoas e não são esterilizados. A recomendação correta é a utilização de material de uso individual, ou na sua impossibilidade, de materiais esterilizados após o uso em cada indivíduo.

No caso de piercings, deve se considerar também que antes do momento em que haja completa cicatrização da região em que foi colocado, existe a possibilidade de contato com secreções corporais e áreas de pele não íntegra. Piercings colocados em regiões genitais podem provocar maior possibilidade de atrito, havendo a possibilidade de ocorrer pequenas lesões e sangramentos durante a relação sexual.



Transmissão vertical (Mãe-Filho).

De 30 milhões de pessoas vivendo com HIV/AIDS no mundo, aproximadamente 14 milhões são mulheres. Dos 6 milhões de novos casos de infecção pelo HIV ocorridos no ano de 1998, mais de 2 milhões ocorreram na população feminina. No Brasil, até o final do ano de 1998, foram notificados mais de 30.000 casos de AIDS entre as mulheres. A principal forma de transmissão destas infecções ocorreu a partir de relações heterossexuais.

O crescimento de casos de AIDS na população feminina, especialmente em mulheres em idade fértil, tem resultado no aumento dos casos de AIDS em crianças adquiridos através da transmissão vertical, ou seja, da mãe infectada para o filho. No Brasil, o primeiro caso de transmissão vertical foi descrito em 1985 no estado de São Paulo e desde então, o número de casos associados a esta categoria de transmissão vem aumentando ano a ano. Entre os casos pediátricos, a transmissão perinatal correspondia a cerca de 25% no período de 1984 a 1987. A partir de 1994, 90% dos casos de AIDS ocorridos em crianças estão relacionados à transmissão do vírus da mãe infectada para o seu filho.

Estudos feitos no Brasil que avaliaram o teste anti-HIV nas mulheres grávidas ou puérperas, mostraram que os resultados eram positivos em 1% (até 3 a 4%) das mulheres testadas.

A chance de uma criança com mãe soropositiva se contaminar com o vírus (taxa de transmissão vertical do HIV) varia entre 12-40% nos diversos países. Em 1994, foram publicados os resultados de um estudo (o Protocolo 076), demonstrando que quando as gestantes infectadas pelo vírus e o bebê destas mães tomavam o AZT, a chance do recém-nascido se contaminar com o HIV diminuía em 2/3. A partir de então, o uso do AZT passou a ser uma recomendação para todas as gestantes infectadas pelo HIV. Após a recomendação de cuidados no momento do parto e o uso de medicamentos contra o vírus na mulher grávida soropositiva, as taxas de transmissão vertical em diferentes países (inclusive no Brasil) têm diminuído dramaticamente para taxas inferiores a 5%, ou seja, a chance da criança não se contaminar com o vírus é maior que 95%.Outros esquemas de medicamentos anti-retrovirais ("coquetel") podem ser necessários nas mulheres grávidas infectadas pelo vírus. Uma discussão detalhada dos riscos e dos benefícios destes esquemas de medicamentos deve ser discutido clara e amplamente com a gestante durante o pré-natal.

O momento da transmissão do vírus pode ocorrer durante os 9 meses da gestação, no momento do parto ou durante a amamentação. A transmissão ocorre em 70-80% nas últimas semanas da gestação, durante o trabalho de parto e o parto. Em cerca de 30% dos casos, a transmissão se dá no intra-útero. Mesmo com uma transmissão intra-útero relativamente baixa, é comum haver infecção da placenta. A placenta funciona, portanto, como uma importante proteção do feto. O controle da passagem do HIV através da placenta envolve vários mecanismos de regulação. O risco de transmissão do HIV pelo aleitamento materno é de 14%, chegando a 29% das mães que se infectam com o HIV após o parto.

A possibilidade de fazer o teste anti-HIV deve oferecida a todas as gestantes no pré-natal. A identificação de testes positivos vai trazer benefícios não só pela possibilidade de prevenir um grande número de crianças infectadas pelo vírus, mas também por permitir uma melhor assistência a mulher infectada que, quando identificada precocemente, passa a ter benefício do início do tratamento específico da infecção pelo HIV.



Outras formas de transmissão: Inseminação artificial. [voltar]

A partir da inseminação de sêmen contaminado, existe a possibilidade de infecção pelo HIV em mulheres que tenham sido submetidas a esta tentativa de engravidar. Cinco dos sete casos descritos nos Estados Unidos, por exemplo, foram detectados após a investigação de 199 mulheres que receberam inseminação artificial com sêmen de cinco doadores infectados pelo vírus HIV.

A imensa maioria dos casos descritos ocorreram antes da recomendação de realizar teste anti-HIV de rotina em todos os doadores de sêmen.



Outras formas de transmissão: Receptores de transplantes de órgãos.

A possibilidade de contaminação a partir de um órgão transplantado ocorre quando o doador deste órgão (que esteja vivo ou que tenha morrido) tem a infecção pelo HIV/AIDS. Nos Estados Unidos, por exemplo, existem relatos de 41 casos desta categoria de transmissão. Desde 1985, quando foi iniciada a testagem de rotina dos doadores, foram relatados 10 casos; sete deles a partir de um único doador.

A DOAÇÃO DE ÓRGÃOS NÃO TRAZ NENHUM RISCO DE TRANSMISSÃO DO HIV PARA O DOADOR.






Convívio social e domiciliar.

O vírus HIV não se transmite pelo contato cotidiano, social ou domiciliar. As únicas formas de transmissão do vírus já foram discutidas no texto acima e são as relações sexuais com uma pessoa infectada pelo HIV sem o uso de preservativos; o uso de drogas injetáveis compartilhando seringas e agulhas; da mãe para o filho durante a gravidez e por transfusão de sangue contaminado.

É preciso ter clareza de que o HIV não se transmite pelo contato da pele; pela respiração; por tosse ou espirro; por alimentos; pelo uso coletivo de pratos, talheres e copos; pelo uso de sabonetes ou roupas; pelos assentos de vasos sanitários.

Uma pessoa com HIV/AIDS pode cozinhar para os outros sem nenhuma restrição. Os talheres e pratos utilizados não devem ser separados e estes objetos devem ser lavados normalmente, com sabão ou detergente.

As roupas usadas devem ser lavadas como as de todo mundo.

A lâmina de barbear e a escova de dentes são os únicos objetos que não devem ser compartilhados com outras pessoas.

Existem alguns cuidados que são recomendados na assistência dos pacientes em casa que são:

ter atenção ao manipular as agulhas de medicações utilizadas, não devendo ser reencapadas, quebradas ou dobradas. Estas agulhas devem ser colocadas em um recipiente resistente, como uma lata de leite em pó, por exemplo, contendo uma quantidade de água sanitária.
jogar no vaso sanitário todos os dejetos líquidos que contenham sangue. Fraldas, absorventes e gazes que contenham sangue devem ser colocados em sacos plásticos resistentes e jogados no lixo.
utilizar luvas quando tiver contato com sangue do paciente. Mas é bom lembrar que não existe nenhum caso de AIDS que tenha ocorrido contato de sangue com a pele sã e íntegra.
Todas estas orientações devem ser discutidas com os profissionais que prestam assistência ao paciente.



Picada de mosquito não transmite o vírus !!!

O mosquito não transmite o HIV. O mosquito pica através pele para ter acesso ao sangue e sugá-lo, mas ele não injeta sangue de uma outra pessoa na picada. Os mosquitos injetam saliva e é ela que causa a coceira no lugar da picada. O HIV não chega nas glândulas salivares e a quantidade de vírus no mosquito é insuficiente para infectar. Além disso, os mosquitos podem demorar dias entre a picada de um indivíduo até a sua próxima picada. Como o HIV não vive muito tempo fora do organismo do paciente, o vírus acaba não sobrevivendo no intervalo de dias entre as picadas.

Há insetos que servem como vetores de microorganismos de determinadas infecções, como a dengue e a malária, por exemplo. Eles são necessários ao ciclo natural destas infecções. Não é o caso do HIV, nem de outras doenças com o sarampo a gripe, que não são transmitido por mosquitos nem por outros insetos.



Outras informações úteis.

A AIDS é uma doença que afeta o sistema de defesa do organismo, o que torna o paciente incapaz de controlar adequadamente a infecção pelo vírus HIV, facilitando o risco de adquirir doenças e infecções oportunistas.

Nas primeiras semanas após a pessoa se infectar, o teste quase sempre é negativo. Isso porque, só após um período mínimo de 6 a 12 semanas é que o organismo da pessoa tem anticorpos contra o vírus em quantidade suficiente para a sua detecção, e aí o resultado do teste é positivo. Este período é chamado de "janela imunológica", no qual o paciente tem o vírus mas o resultado do teste anti-HIV ainda é negativo.

A grande maioria das pessoas que se infecta com o vírus passa vários anos sem sentir nada. Este período em que ocorre a infecção até o aparecimento de algum sintoma da doença dura, em média, 10 a 12 anos. Neste período, o HIV pode estar presente no organismo da pessoa, sem que ela e nenhum de seus parceiros suspeitem disso.

À medida que haja maior alteração da imunidade da pessoa infectada, podem ocorrer alguns sintomas como candidíase oral ("sapinho") e vaginal, febre constante, emagrecimento, diarréia prolongada e tosse persistente, bem como podem aparecer as doenças oportunistas. Muitos destes sinais e sintomas podem aparecer e são comuns também em outras doenças, não sendo possível afirmar que a pessoa esteja ou não infectada pelo HIV baseando-se somente nestes dados. O paciente deverá ser avaliado em algum serviço de saúde. Será a avaliação pelo médico e a realização de alguns exames que vão permitir o diagnóstico da infecção pelo HIV e o início do tratamento adequado.

A utilização de uma combinação de medicamentos contra o vírus (medicamentos anti-retrovirais – "coquetel") tem permitido um importante e melhor controle da infecção pelo HIV, evitando o aparecimento das doenças oportunistas. Muitas vezes o vírus deixa de ser detectado no sangue, mas isto não significa cura da doença. O vírus continua presente em outros locais do organismo, como, por exemplo, nos gânglios. De qualquer forma, em quase 20 anos de epidemia, importantes avanços foram encontrados em relação a abordagem da infecção pelo HIV/AIDS, permitindo uma melhoria significativa na vida dos pacientes infectados.

POESIA

Perguntei a um sábio,
a diferença que havia
entre amor e amizade,
ele me disse essa verdade...
O Amor é mais sensível,
a Amizade mais segura.
O Amor nos dá asas,
a Amizade o chão.
No Amor há mais carinho,
na Amizade compreensão.
O Amor é plantado
e com carinho cultivado,
a Amizade vem faceira,
e com troca de alegria e tristeza,
torna-se uma grande e querida
companheira.
Mas quando o Amor é sincero
ele vem com um grande amigo,
e quando a Amizade é concreta,
ela é cheia de amor e carinho.
Quando se tem um amigo
ou uma grande paixão,
ambos sentimentos coexistem
dentro do seu coração.

William Shakespeare

ROMANCE

Há quem diga que todas as noites são de sonhos.
Mas há também quem diga nem todas, só as de verão.
Mas no fundo isso não tem muita importância.
O que interessa mesmo não são as noites em si, são os sonhos.
Sonhos que o homem sonha sempre.
Em todos os lugares, em todas as épocas do ano,
dormindo ou acordado.

APRENDA O CORRETO!

ENVIADO POR BRINGHA!

E a gente pensa que repete corretamente os “ditos populares"

No popular se diz: Esse menino não pára quieto, parece que tem
bichocarpinteiro. Minha grande dúvida na infância... Mas que bicho é
esse que é carpinteiro, um bicho pode ser carpinteiro? Correto: Esse
menino não pára quieto, parece que tem bicho no corpo inteiro. Tá aí a
resposta para meu dilema de infância! EU NÃO SABIA. E VOCÊ?

Batatinha quando nasce, esparrama pelo chão.
Enquanto o correto é: Batatinha quando nasce, espalha a rama pelo
chão. Se a batata é uma raiz, ou seja, nasce enterrada, como ela se
esparrama pelo chão se ela está embaixo dele?

Cor de burro quando foge. O correto é: Corro de burro quando foge!
Esse foi o pior de todos! Burro muda de cor quando foge? Qual cor ele
fica? Porque ele muda de cor?

Outro que no popular todo mundo erra: Quem tem boca vai a Roma. Bom,
esse eu entendia, de um modo errado, mas entendia! Pensava que quem
sabia se comunicar ia a qualquer lugar! O correto é: Quem tem boca
vaia Roma. (isso mesmo, do verbo vaiar).

Outro que todo mundo diz errado, Cuspido e escarrado - quando alguém
quer dizer que é muito parecido com outra pessoa. O correto é:
Esculpido em Carrara. (Carrara é um tipo de mármore).

Mais um famoso! Quem não tem cão, caça com gato. Entendia também,
errado, mas entendia! Se não tem o cão para ajudar na caça o gato
ajuda! Tudo bem que o gato só faz o que quer, mas vai que o bicho tá
de bom humor! O correto é: Quem não tem cão, caça como gato, ou seja,
sozinho!

Vai dizer que você falava corretamente algum desses?
AMO ESSA MÚSICA! O TÍTULO DA MÚSICA DIZ TUDO!


video

ESSENCIAL PARA NOSSA PROFISSÃO!

video

HISTÓRIA DA PSIQUIATRIA

video
video

PIADA!

ADORAMOS PIADAS DE LOKINHUS NÉ??

O cara vai passando em
frente a um hospício quando uma
roda do carro se solta. Sem os
parafusos, o que fazer? Um sujeito
que via a cena da janela grita:
— Tira um parafuso de cada
roda, fica com três em cada.
Surpreso com a solução, ele
conserta a roda, mas antes de
partir não resiste à pergunta:
— Vem cá, se você é capaz
de uma idéia tão genial, por
que está aí dentro?
— Ué, sou louco mas não
sou burro.


REFORMA PSIQUIÁTRICA NO BRASIL!

Dr. Jacinto dos Santos*

Uma parte interessante da história da psiquiatria no os "Alienados Mentais", tinham um tratamento mais moral do que cientifíco. Eram castigados, presos a grilhões de ferro, sem tomar sol e muitas vezes espancados. O cuidado, ou a assistência ficava a cargo das freiras. Tanto na Santa Casa de Misericórdia, quanto no tal primeiro hospicio da Praia Vermelha. Então, não existiam psiquiatras, só existiam os médicos "alienistas", os médicos gerais do asilo. Só a partir de meados do século XX é que os médicos conseguiram assumir o poder da assistência. Até então o poder era da Igreja e tinha um cunho "Caritativo ou misericordioso".

Os primeiros psiquiatras brasileiros se formaram na Europa: França e Alemanha. Os grandes passos na Reforma Psiquiátrica Brasileira na seguinte ordem:

1) A construção do hospício na Praia Vermelha, na primeira metade do século XIX;

2) Os psiquiatras brasileiros transformaram na primeira metade do século XX os asilos e hospícios em manicômios sob total responsabilidade dos
psiquiatras;

3) A revolução no campo da psicofarmacologia, a introdução do uso de neurolépticos e dos triciclicos, possibilitando a redução do tempo de internação;

4) A entrada de outros profissionais se deu nos anos 60/70, quando iniciou o movimento da antipsiquiatria;

5) Nos anos 80 diversos setores da sociedade se mobilizam para desenvolver uma ação conjunta visando uma legislação no campo da Saúde Mental que só
veio a acontecer 21 anos depois!!!

6) A Lei 10216 assinada em 2001. Este foi, de fato, o principal marco da Reforma Psiquiátrica Brasileira, pois defende os direitos de cidadania dos portadores de Transtornos Mentais e redireciona as ações no campo da
assistência.

* Jacinto Dos Santos é psiquiatra e trabalha na rede de saúde mental de Niterói e do Estado do Rio de Janeiro. Ele ja trabalhou como psicoanalista, e atualmente é um exemplo trabalho na Reforma Psiquiátrica no Brasil, sob as práticas das grandes renovações na humanizaçãoda medicina e da psiquiatria. Ele cedeu gentilmente este resumo para o fomento da informação web da reforma e da saúde mental.


COMO EU AMO SAÚDE MENTAL, SOU FASCINADO PELO CÉREBRO.

ACHEI BEM LEGAL ESTA MATÉRIA, UMA DE TANTAS OUTRAS QUE VOU POSTAR.

http://www.alternativamedicina.com/historia-da-psiquiatria/reformas-saude-mental.html

Este foi o site que utilizei, para estas informações.



REFORMA PSIQUIÁTRICA NO BRASIL!

.. A impressão que causa uma visita aos serviços de saúde mental atuais dos dois países é que são bem diferentes. Vamos tentar uma descrição de como se chegou a essas formas definitivas outra vez, considerando a lógica social subjacente nas especificidades geográficas.
A integração do louco na cidade surge no Brasil com a virada para outra psiquiatria européia, agora a “italiana”, segundo as experiências de desinstitucionalização que iniciaram-se com Basaglia em Trieste. A idéia é agora oposta a aquela que julgava à cidade como lugar de nascimento dos mais sociais. Então o louco deve sair das colônias e dos asilos para voltar à zona urbana.
A reforma psiquiátrica brasileira coincide com o final gradual da ditadura militar, com as denuncias das praticas asilares e do maltrato institucional por parte dos técnicos. Uma crise social volta à cena para gatilhar transformações que analisaremos no nível geohistórico.
A integração do louco na cidade surge no Brasil com a virada para outra psiquiatria européia, agora a “italiana”, segundo as experiências de desinstitucionalização que iniciaram-se com Basaglia em Trieste. A idéia é agora oposta a aquela que julgava à cidade como lugar de nascimento dos mais sociais. Então o louco deve sair das colônias e dos asilos para voltar à zona urbana.
A reforma psiquiátrica brasileira coincide com o final gradual da ditadura militar, com as denuncias das praticas asilares e do maltrato institucional por parte dos técnicos. Uma crise social volta à cena para gatilhar transformações que analisaremos no nível geohistórico.

Voltando ao nível social na comparação das duas historias sulamericanas, poderia se dizer que uma identificação com os usuários aconteceu tanto no Brasil como na Argentina. No primeiro país, a abertura e a saída gradual da ditadura possibilitou uma identificação “positiva”, uma vontade de sair da opressão do regime militar do mesmo jeito que um paciente quer se liberar da opressão dos manicômios. Na Argentina, o final imprevisto da ditadura apos da guerra das Malvinas arrumou tudo para uma identificação “negativa”, o que acontece quando um hospício fecha de um dia para ou outro: o usuário fica paralisado e não quer ir embora. Então, no Brasil teve o trabalho prévio que é necessário para a volta de alguém à sociedade.

Até aqui, no que diz respeito das comparações entre os sistemas, tomamos como eixo a historia comum, porque seria muito cansativo falar das condições locais, irredutíveis, como as variações demográficas ou alguns aspetos teóricos que são próprios de cada lugar. É possível arriscar que não poderia ter na Argentina hoje uma reforma psiquiátrica do mesmo jeito do que teve no Brasil por varias questões, que são as mesmas ja analisadas.

De um lado as causas políticas que ja foram mencionadas: não teve a mesma resposta que a sociedade brasileira apos da ditadura; e do outro as econômicas: nunca teve na Argentina uma industria manicomial tão estabelecida nos níveis públicos nem particulares. Tem estados onde jamais manicômio nenhum foi construído, mas também não aconteceu a descentralização que é necessária para a instalação duma política com base em todos os territórios.

Então, além dessas questões, as outras formam parte das diferenças idiosincráticas (por exemplo culturais, o contexto internacional, a relação com os técnicos), que são por definição incomparáveis.

Para terminar, a desarticulação das historias da saúde mental dos dois paises, até os anos 70 tão paralelos, pode ter sido consequência então das diferentes reações a crises sociais, nas saídas das ditaduras. Mas desarticulação não pode se julgar como um afastamento no senso duma divergência. A pesar de ter, na Argentina, ampliações dos hospitais psiquiátricos (Beines, 2006), a tendência mostra uma aproximação ao nível da toma de consciência social da situação manicomial. O ritmo lento dessa transformação não altera aquela estrutura geohistórica que começa pelo movimento social para passar à ação no nível geográfico.