A arte de dançar:

Os benefícios da dança na terceira idade

Senhoras expressam na sua dança a sua alegria e disposição

"A dança não é uma diversão, e sim uma religião, a religião da beleza.”

Isadora Duncan

Por Marina Fernanda Veiga dos Santos de Farias*

Diretamente para o Portal

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), o Brasil passará a ocupar, daqui a 15 anos, o sexto lugar no ranking de idosos, ou seja, o nosso país está envelhecendo. Para isso nada melhor do que a dança, que pode variar dependendo de cada gosto, mas o resultado final é sempre o mesmo: satisfação.

A aposentada Ana Maria Marques, 62 anos, começo a participar de grupos de dança desde 2002, em que diz se senti realizada. “A dança me cura. Não sinto dor, nem medo, eu fico mais forte”, ressalta. Ana Maria sempre participou do PAI (Programa de Ação Integrada para o Aposentado), órgão do governo do estado do Maranhão que oferece também outras atividades com tai-chi-chuan, hidroginástica, yoga e artes plásticas.

O professor José de Ribamar Coelho, conhecido como Saci Teleleu que ministra as aulas de dança folclórica no PAI revela a contribuição que a dança traz também e como as “meninas” se sentem depois de cada aula. ”Elas saem daqui renovadas, utilizam a dança como forma de lazer e além de tudo estimula a concentração e fazem novas amizades. É um trabalho maravilhoso ensinar estas senhoras”, declara.

Saiba mais

O Programa de Ação Integrada para o Aposentado - PAI, gerenciado pela Secretaria do Planejamento e Gestão – SEPLAG, foi criado em seis de novembro de 1990, através do Decreto n° 21.088, com objetivo de desenvolver ações integradas que possibilitem ao aposentado o exercício de suas potencialidades nas áreas de capacitação, desenvolvimento bio-psicosocial, inclusão digital e empreendedorismo. A data da criação do Programa foi instituída como o dia do aposentado do Serviço Público estadual, seis de novembro. Tem como visão promover a integração e a socialização do aposentado da Administração Pública Estadual, desenvolvendo projetos que contribuam para a melhoria da qualidade de vida e cidadania.

*Marina Fernanda Veiga dos Santos de Farias, é estudante do Curso de Comunicação Social da UFMA, trabalha na Assessoria de Comunicação da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação da UFMA, tendo experiência na área de reportagem, divulgação e assessoria.

2 comentários:

Marina Farias at: 9 de abril de 2011 13:57 disse...

boa tarde. Muito obrigado pela sua colaboração em ter postado a minha matéria sobre a dança na terceira idade. Eu sou a Marina Fernanda, autora do artigo. valeuzão

Deiselangblogger at: 14 de abril de 2011 14:20 disse...

Legal Marina, obrigada pela visitinha.
Venha sempre
Abraços